22 de dez de 2012

Bite Me VI - Angel

"Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam."
~ Clarice Lispector


Justin's POV

Não pode ser possível que aquele cara tenha amado ela, mais do que eu a amo, mais do que eu a desejo, mais do que eu a vivo. Ele era só mais um idiota no mundo, eu sou a única pessoa em que ela confia aqui dentro. No mesmo momento em que ela disse que era seu namorado, meu mundo caiu, apenas não chorei pois seria burrice ela saber deste modo. Dei um abraço, que não queria mais que acabasse. Desta vez, esperei ela adormecer e fui para o meu quarto, não aguentaria vê-la sem pensar em quantas vezes ela disse que o amava, quantas vezes ela o beijou, quantas vezes ela foi feliz com ele e não comigo.
Aproveitamos o dia e eu e vários outros caras, fomos organizar tudo, colocamos todos os alimentos no trailer e em um carro, nos outros seriam apenas passageiros. Tenho medo do que vai acontecer, mas não importa o que aconteça, eu vou deixar Kath em paz, salva.
— Justin, eu enchi aquele porta-malas com armamento e munição, está bom assim? - Zayn falou enquanto andávamos em direção ao depósito.
— Está ótimo, agora encha outro com machados, facas, tudo que for cortante. Lembre-se de pedir pro Ryan afiar todas antes. - Peguei minha arma favorita e fui andando até a área dos quartos, onde Katherine provavelmente dormia agora. Quando cheguei no seu quarto, a mesma se encontrava deitada, com o rosto mais angelical que já pode existir. Depois de alguns minutos, ela acordou.
— Jus, o que está fazendo aqui? - Ela disse sonolenta.
— Eu vim dizer que, nós vamos para o Brasil.
— Quando? - Ela se sentou sorrindo.
— Daqui à 5 dias. Precisamos de tempo para realmente organizar tudo, ver como vamos manter a segurança dentro dos carros ... vamos ter que sair daqui para ir até uma concessionária aqui perto, vamos roubar uns carros, pois temos apenas seis e isso não dá nem pra metade das pessoas aqui.
— Nossa, eu quero ir junto! - Ela sorriu e já e levantou, caminhando ao banheiro. Logo voltou com uma roupa normal. - Eu quero te falar uma coisa, Justin. Ér, obrigada, por tudo que você está fazendo por mim, vou ficar devendo a minha vida. - Ela me abraçou em seguida.
— Eu que agradeço, por Deus ter te posto na minha vida deste jeito. - Eu sorri e ela sorriu junto.
— Você é meu anjo da guarda, Justin. - Quando ela disse isso, me deu uma vontade imensa de grudar meus lábios nos seus, mas isso eu não posso fazer. Puxei ela e comecei a levá-la para o terraço, o único lugar onde ficaríamos completamente sozinhos. - Justin, isso é lindo.
— Você foi a primeira pessoa que eu trouxe aqui. - Eu disse a olhando sério.
— Nossa ... - ela ficou observando a paisagem deserta, mas logo tomou a atenção à mim. - Vamos dançar?
— Mas não tem música! - Eu disse rindo dela.
— Nós temos nossa mente. - ela me puxou para perto dela e me fez segurar em sua cintura, enquanto a mesma colocou as mãos no meu pescoço. Dançávamos ao ritmo de uma música que não existia, mas logo se tornou real quando ela começou a cantar.



Before I fall too fast
Antes de eu me apaixonar rápido demais
Kiss me quick
Me beije rápido,
But make it last
Mas faça durar
So I can see how badly this will hurt me
Para que eu possa ver o quanto vai me doer
When you'll say good bye
Quando você disser adeus

Sua doce voz invadia meus ouvidos, mas só agora parei para pensar no que estava fazendo. Ela é tão hipnotizante, tão incrível, mas porque não pode ser minha? Comecei a cantar junto dela, acompanhando seus passos. 

But you're so hypnotising
Mas você é tão hipnotizante
You've got me laughing while I sing
Você me faz rir enquanto eu canto
You've got me smiling in my sleep
Você me faz sorrir enquanto eu durmo
And I can see this's unravelling
E eu posso ver isso se desdobrando.
Your love is where I'm falling
Seu amor é onde estou caindo
But please, don't catch me
Mas por favor, não me conquiste.

Meu coração estava acelerado, minha respiração um pouco falha, mas meus olhos continuavam vidrados nos seus, as famosas borboletas no estômago começaram a aparecer e tudo ficou tão mágico, parece que isso só acontece quando estou com ela, quando vejo seu sorriso brilhando em minha direção.

Run far away
Vá para longe
So I can breath
Então eu consigo respirar
Even though you're far from suffocating me
Mesmo você estando longe de me sufocar
I can't set my hopes too high
Eu não posso criar muitas esperanças
Cause every hello ends with a goodbye
Porque todo olá termina com um adeus.

O mundo à minha volta já não existia mais, era somente nós dois, sozinhos. Eu sorria tanto que poderia ver toda a minha arcária dentária, ela já estava com as bochechas vermelhas e eu cansado, mas não paramos nenhum segundo, continuamos nos acariciando e vendo um ao outro. 

If this is love please dont break me
Se isso é amor, por favor não me machuque
I'm giving up
Eu estou desistindo
So just catch me
Então apenas me conquiste.

Logo nos tornamos apenas um, uma alma. Seus lábios macios encostando nos meus, sua cintura colada no meu abdome, tudo fazia aquele momento ser mais especial. A cada carícia, a cada arfada que dávamos por falta de fôlego, a cada segundo ... era completo. Já não queria mais soltá-la, ficaria para sempre se não fosse pelos meus pulmões implorarem por ar novamente.
 Nos olhamos intensamente com a respiração pesada e os corpos já relaxando. Enquanto a noite chegava, saímos de lá o mais rápido possível. Eu e Katherine fomos cada um para o seu quarto, mas não trocamos uma palavra. É incrível como o dia passa rápido quando estou com ela. Este quarto me parece tão vazio agora, sem ela. Entrei debaixo do chuveiro, imaginando como seria minha vida se não tivesse esse apocalipse. Com certeza estaria sendo paparicado, milhares de garotas loucas estariam gritando na minha porta, estaria comendo o melhor dos quitutes feitos por os mais renomados chefes do mundo. Mas ainda não teria alguém para compartilhar tudo isso. De uma certa forma, agradeço por isso tudo. 

...

— Justin? - Ouvi sua doce voz me chamando. Estava sentado no refeitório sozinho e Katherine me tirou dos meus pensamentos insistentes. - Me desculpa pelo que aconteceu ontem a noite, não vai mais acontecer. - Ela se desculpou um pouco envergonhada, mas bem que eu queria que acontecesse de novo.
— Tudo bem, não tem problema. - Sorri e ela se sentou ao meu lado.
— Como essa vida de sobrevivente é chata, não tem absolutamente NADA para fazer. Não tem nem um cinema, um shopping pra gente invadir aqui não?
— Se invadirmos o alarme vai tocar e vai chamar a atenção dos vampiros, com certeza. - Ri enquanto observava sua expressão incrédula.
— Mas e se descobrirmos onde está o alarme e quebrá-lo? - Ela falou me olhando maliciosa. Essa garota é completamente doida.
— Você me convenceu, amanhã mesmo nós vamos.
— Justin, eu quero hoje- Ela fez exatamente essa cara: '-'. Ficou me encarando com uma cara de tacho que não me aguentei e comecei a rir.
— Tá bom, mas você vai ter que correr. - Ela afirmou com a cabeça e eu a puxei para avisar Chris e o resto do pessoal, peguei minha arma e logo estávamos correndo loucamente para fora do portão, não desgrudei dela nenhum segundo.
— Justin, fica aqui cuidando enquanto eu tento achar o alarme. - Kath falou e eu tentei impedir, mas ela saiu correndo em seguida. A esperei por uns 2 minutos e logo ela avisou que tinha achado. Atirei no alarme e logo depois entramos dentro do tal shopping. - Será que tem algum vampiro aqui? - Ela falou olhando pra todo canto. Fiquei cuidando o tempo todo, até chegar na sala de comando, onde provavelmente teria as chaves de todas as lojas. 


 Seu nome's POV

Justin e eu ficamos praticamente o dia inteiro procurando coisas dentro daquele shopping, até mesmo ficamos segurando várias sacolas com alimentos que não tinham vencido ainda e roupas e cobertores para a viagem. Combinamos também de voltar amanhã para ver se não teria outras coisas que poderiam servir. Mas enquanto isso, ficamos passeando pelo shopping. Vi que tinha uma farmácia e sendo mais que discreta (só que não), fui até lá para ver se não achava uns absorventes e também coisas necessárias (anticoncepcional, calmantes, remédios para cólica) para meu bem estar.
— Porque demorou tanto? - Justin falou quando estava saindo de lá.
— Coisa de mulher, não tente entender. - Decidimos ver se não tinha algum dinheiro que poderíamos usar na saída do pais. Quando estávamos saindo, ouvimos um barulho, olhei para trás e lá estava uma vampira, loira e um outro moreno nos observando. Chamei a atenção de Justin, e ele virou se assustando também, ele apontou a arma para eles mas a mulher apenas deu um sorriso sádico.


— Você sabe que não pode nos matar com armas, certo? - Ela falou em seguida.
— Cala boca sua vadia. - Falei olhando nos seus olhos.
— VADIA É A SUA MÃE - Logo ela estava quase correndo até mim para me matar, mas o homem a segurou no mesmo instante
— Esqueceu do nosso trato? - Aquela voz, quase que reconhecia. Ficou com a cabeça baixa o tempo todo, segurando a tal mulher pelo braço.
— Vão embora! - Justin gritou.
— Acho que somos nós que devemos dizer isso, afinal, chegamos aqui primeiro. - A mulher ficou me encarando enquanto falava.
— Apenas nos deixe pegar o que quisermos, depois nós vamos embora - Justin, disse abaixando a arma.
— Deixe Angélique, não vai querer provar deste sangue imundo. - O homem continuava de cabeça baixa, mas quem seria ele? Eu e Justin saímos de lá correndo em direção ao abrigo. Depois de dermos tudo para os meninos organizarem, pegamos nossas coisas e fomos para o quarto, onde passamos a maior parte do tempo, afinal, não tem muita coisa para se fazer num apocalipse.

4 comentários?
Meninas, desculpa a demora para postar, mas eu fiquei 3 dias escrevendo esse capítulo, não liguem se estiver uma merda. Espero que gostem, beeeijos!

Isa 

4 comentários:

Obrigada por comentar, isso significa muito para nós!